Ninho de borboletas







A raiz era a escrava,
Descabelada negrinha
Que dia e noite ia e vinha
E para a flor trabalhava.

E a árvore foi tão bela!
Como um palácio. E o vento
Pediu em casamento
A grande flor amarela.

Mas a festa foi breve,
Pois era um vento tão forte
Que em vez de amor trouxe morte
À airosa flor tão leve.

E a raiz suspirava
Com muito sentimento.
Seu trabalho onde estava?
Todo perdido como vento.

Cecília Meireles

Um comentário:

Mar... disse...

Essas indagações são bem presentes em nossas vidas...dias mais dias menos...
Lindo dia minha amada...eu estou melhorando minha linda....o importante é não desistir nunca....
Ti amo viu...e seu carinho é muito especial...bjs carinhosos...