Acolha-me
Deixe que deite em seu colo
e tenha sonhos de criança
permita-me ter medo e confessá-lo.

Deixe que eu solte meu sêr
por campos onde seja possível andar
sem jogos, sem temores e mentiras

Acolha-me
E guarde em seus braços
meus infantis segredos
minhas dúvidas de gente grande
meus sentimentos de sêr pequeno.

Faça com que eu deixe lá fora
por apenas alguns instantes
e assim, que dentro de mim possa encontrar
alguma razão real para ainda estar vivo

Acolha-me
Norteai-me pelo seu olhar
mostre-me luzes que não mais vejo.

Segure minhas mãos
com o carinho que não mais conheço;
seca meu choro com palavras reais
sobre um mundo tão distante de onde vim

Acolha-me
Traga-me a paz em forma de gestos
não apenas me diga, mas mostre-me.

Decora meu rosto
com desenhos feitos com seus dedos
com linhas que novamente
me liguem ao mundo doce e terno.

As possibilidades de ser mais do que
o herói de uma noite
o vilão de um amanhecer

Acolha-me
Dê guarida ao meu fugitivo
ao meu instante sêr;
ao que resta dos meus exércitos
de bondade e luz...

Semeia em meu corpo
gestos puros e leves,
guarda minhas costas
para que eu possa enfim dormir;
para que me sinta
na casa dos seus braços
como um viajante que finalmente chegou

Acolha-me
E não me peça nome e nem documento
não me fale daquilo que eu possa lhe dar
e você possa pegar e perder com as mãos...

Acolha-me

e olhe dentro dos meus olhos
busque por mim...

Grite num sussuro meu nome
tira-me disto tudo
enquanto há ainda o que tirar...

Acolha-me
E com a tinta do seu amor
escreva comigo uma história bonita
destas onde o amor existe.

Segue comigo num cavalo branco
numa noite de lua,
para um lugar qualquer
que mesmo existindo apenas
em nossa comum imaginação;
será uma ilusão segura
que me fará de novo viver

Acolha-me
Preciso de seus braços
para de novo poder ver

"Deus"

Nenhum comentário: